Portfólio Literário

Fernanda de Aragão [e Ramirez]. Mestre e doutora pela UNICAMP, desenvolve pesquisas em psicanálise e esporte. Arte-experimentadora, criou o projeto Diz-Quetes, e outros, junto ao Letra Corrida, ateliê de Literatura e Criatividade. Escritora, posta no Cinco de Outubro. Seu primeiro livro, Língua Crônica, foi premiado pela União Brasileira de Escritores. Alegre e inquieta, registra seus devaneios sobre Divulgação Científica no Polegar Opositor e colabora com o Jornalirismo. Edita os fanzines “Vestindo Outubros” e “Sujeito Simples”. É paulistana de nascimento. Em conjunto com amigos criou o blog Ser-Tão Paulistano. “Fê.liz”, se diz mais “Fê.bricitante” do que “Fê.menina”.

6.6.10

Como Fazer um Projeto Cultural - Literatura

Aqui, enrolada em editais de literatura, circulação, difusão, publicação, edição e coisa e tal, a dúvida: o que é preciso conter um projeto cultural? E a literatura, como fica no meio disso tudo?

Aqui, enrolada com a Funarte e o Proac, editais que aprendi a dar conta apenas depois que resolvi escrever, e viver de escrever. Hein? É. Sem mais comentários sobre.

Aqui, navegando pela internet, apanhado de manuais, vamos lá, arriscar e coisa e tal. Nos encontraremos em algum edital por aí? Com certeza! E será um prazer.

Ah sim, pois não, se você tiver alguma dica, é só usar os comentários para fazer o seu. E vamos simbora!


ELABORAÇÃO DE PROJETOS CULTURAIS
Estrutura básica (montagem e captação de recursos)

Deve sempre considerar a função e o objetivo da materialização do mesmo:

• a quem se destina ?
• quem fará sua leitura?
• quais seus objetivos?


DADOS GERAIS

Apresentação: o projeto deve ser montado de forma organizada, lógica, bem diagramado, com o máximo de informações visuais (gráficos, fotos, etc.) e principalmente limpo. [Essa parte de informações visuais eu acho interessante, ainda não me habituei, já que o currículo acadêmico, aquele da Plataforma Lattes requer outros princípios. Quanto à estética, ok! Todo mundo sabe que uma informação bem apresentada faz toda a diferença!]

Linguagem: deve ser acessível de modo a evitar textos rebuscados, repletos de adjetivos e informações subjetivas. O texto deve ser claro, conciso, objetivo e direto. [Metáforas e Figuras de Linguagens e Metonímias apenas no material stricto da coisa: aquela literatura que vai anexa aos projetos como exemplo. Não sei se concordo muito com isso, parece que é mais criativo escrever um projeto com capacidade linguística igualmente criativo, mas talvez os proponentes tenham exagerado e coisa e tal, e para a avaliação ficar mais democrática e coisa e tal seja mesmo necessário uma linguagem simples e concisa. Talvez, não sei. O que você acha?]

Informações: devem ser quantificadas e precisas, principalmente a respeito do público a ser atingido pelo projeto, já que são informações que interessam em demasia aos futuros patrocinadores. [Em resumo: escrever de acordo com o edital. Não adianta nada mandar um projeto de crônicas para um processo seletivo de contos. É! Mas vale arriscar, vais que...]

Leis de Incentivo: deve-se sempre seguir as orientações e especificações básicas de cada uma das leis. [Óbvio!]



PARTES DE UM PROJETO CULTURAL

A disposição e organização de cada uma das partes de um projeto cultural variam de acordo com o direcionamento. O destaque e a ênfase de uma ou outra informação também vão depender desta função do projeto.

[Atenção: nem todos os itens abaixo representam todos os itens obrigatórios de um projeto cultural. Lembre-se de escolher os itens determinados pelo edital! O Excesso de informações pode ser prejudicial!]


I. Capa

• Identificação do Projeto (título e área)
• Identificação do Proponente (nome)
Título: escolher um bom nome é importante para transmitir a idéia central do projeto, e de forma mais rápida. Além de dar uma idéia concisa e clara da sua proposta, um nome sucinto e objetivo facilita a compreensão e ajuda a atingir os objetivos com mais eficiência.


II. Apresentação / Introdução / Descrição (o quê)
Descrição breve e clara do objeto que se pretende desenvolver, incluindo os temas abordados e seus desdobramentos. Pode ser uma ação, uma atividade ou um produto cultural.

• O que é o projeto?
• Qual sua missão? Qual seu objetivo geral? (Listar os principais objetivos)
• Qual seu histórico e contexto (como surgiu a idéia, qual a importância)?
• Quem são os principais envolvidos e quais suas funções?
• Qual será o formato final e quais os resultados esperados?
(dados concretos, para analise das dimensões e potencial do projeto)
• Qual é o público alvo?
• Quando e onde será realizado?
• Qual será o valor total do investimento solicitado?

A apresentação é uma das partes mais importantes na elaboração do projeto. É por meio dela que as comissões de seleção poderão entender – de forma rápida e objetiva – a proposta integral do projeto. Seja claro e objetivo, incluindo apenas as informações essenciais ao seu entendimento.

O projeto deve transmitir segurança no conhecimento sobre o tema, autoconfiança, talvez um toque de entusiasmo, mas não promessas extravagantes! Deve conter a exposição clara, de maneira encadeada e cronológica do projeto.

Concentre-se em descrever o conteúdo específico do projeto, evitando dissertar sobre as referências teóricas e conceituais que lhe dão suporte.

É uma síntese. Comece com um histórico do objeto, descrevendo como surgiu a idéia de realizá-lo, qual sua importância e seus principais objetivos, o número de pessoas envolvidas, a qual público ele se destina e, finalmente, em que período e local ocorrerá.


III. Objetivos
Descrever de forma clara O Quê se pretende fazer, bem como indicação dos resultados que se pretende atingir, dos produtos finais a serem elaborados e os benefícios da ação ou atividade cultural, se possível a curto, médio e longo prazo. Os objetivos devem ser formulados visando especificar aquilo que se quer atingir a partir da realização do projeto, apresentando soluções para uma demanda ou respondendo a uma oportunidade.

• O que se pretende com o projeto?
• Para que foi pensado e proposto?
• Que impacto se pretende causar com este projeto?
• Que ações se pretende realizar para alcançar este impacto?
• Quais são os benefícios culturais, sociais e econômicos derivados do projeto?
• Qual a influência e a intervenção na formação cultural?

Destacar a contribuição cultural e social que o projeto pode exercer em relação à comunidade, à área de inserção, etc.

Adequar os objetivos do projeto às exigências estabelecidas no regulamento do patrocinador.

Caso o projeto tenha mais de um objetivo, mencionar todos. (Faça um pequeno parágrafo com o objetivo geral e organize em tópicos os específicos. Os objetivos devem iniciar com um verbo, ser claros e sucintos.)

[Eu tinha um professor que dizia: os objetivos de qualquer projeto iniciam-se com verbos: realizar, apresentar, representar, auxiliar, editar, aproximar, relatar, etc, etc, etc]


IV. Justificativa (porque)
Explicitar a importância do projeto e as motivações que o levaram a apresentá-lo, observando os critérios de avaliação previstos no edital, quando houver. Apresentação e explicação das razões e motivações para a realização do projeto, considerando:

• Motivo da demanda por recursos públicos;
• As suas contribuições para o desenvolvimento da área de criação do objeto;
• A criatividade, pioneirismo e ineditismo;
• A importância deste projeto no conjunto da obra do candidato.
• Em que contexto se insere? E qual sua importância dentro desse contexto?
• Por que foi pensado e proposto? Por que a iniciativa de realizar o projeto?
• Qual o diferencial do projeto? (ineditismo, pioneirismo, resgate histórico, etc.)
• Que circunstâncias favorecem sua execução?
• Como o projeto atende aos critérios de seleção e qualificação estabelecidos pelo patrocinador?
• Quais as contribuições para o desenvolvimento cultural do público ao qual se destina ou da localidade/região na qual se insere?
• Qual a experiência do proponente?
• Já foram desenvolvidas outras ações para este público pelo proponente?

Atributos: enfatizar os principais atributos do projeto, lembrando que ele deve ser justificado culturalmente, como criatividade, contemporaneidade, tradição, irreverência, popularidade, entre outros.

Relevância Cultural: há projetos em que é necessário estabelecer uma relevância cultural, ou seja, seu valor simbólico, histórico e cultural e as manifestações artísticas e culturais envolvidas. Além disso é preciso evidencias os benefícios gerados pelas ações sugeridas, a partir do alcance visado e da área de atuação da proposta.

Em caso de projetos em que se atinja a uma população em específico, é importante esclarecer que o projeto responde a uma determinada demanda percebida e identificada por você através de diagnósticos ou pesquisas sobre a região e/ou comunidade em questão.


V. Sinopse / Release / Mecânica de Funcionamento / Produto (como)
Apresentação concisa do conteúdo da proposta cultural apresentada.

• O produtor deve sempre explicar sucintamente o conceito central do projeto e seu mecanismo de funcionamento. É o momento de dizer o que é o projeto e como vai funcionar: duração, conteúdo, forma de produção e produto final.

Descrição técnica da obra: Descrever estilo narrativo a ser empregado, o número previsto de páginas, utilização de ilustrações, divisão em capítulos e demais características técnicas da criação.


VI. Público Alvo (quem)
Identificação do(s) público(s) ao qual o projeto se destina, presumindo, sempre que possível, uma quantidade direta e indireta do público a ser atingido.

• Para quem o projeto foi pensado e proposto?
• Quais são as características (perfil) do público que pretende atingir?
(condições de vida, escolaridade, idade, gênero, classe social, localização geográfica, área de atuação, etc)
• Qual a estimativa de público?

Sempre que possível, faça uma estimativa da quantidade direta e indireta do público a ser atingido.

Aspectos que podem auxiliar na definição do público:
* onde o projeto será desenvolvido,
* a linguagem a que se refere (artes visuais, literatura, dança, musica, teatro, etc),
* qual sua proposta (experimental, popular, massiva, erudita, etc),
* entre outros.

Se o proponente conhecer seu público pode ainda detalhar aspectos como faixa etária, área de atuação, condições de vida, etc.

As características do projeto ou mesmo a trajetória do proponente podem já ter ou indicar um determinado público, que já possua um envolvimento com a ação ou atividade cultural proposta ou, ao contrário, a desconheça ou não tenha acesso e possa dela se beneficiar de alguma forma.


VII. Resultados Previstos / Metas a Atingir
Apresentação dos resultados a serem atingidos pelo projeto e os benefícios produzidos a partir de sua realização.

• Quais serão as metas para cada um dos objetivos?
• Quais são os benefícios culturais, sociais e econômicos?
• Quais os resultados finais do projeto?

Os resultados devem ser mensuráveis e revelar o alcance dos objetivos específicos. Por exemplo: publicação com textos apresentados em palestras ou seminários, DVD com edição dos saraus realizados, etc.

Se possível apresentar dados quantitativos, como: tiragem, número de espetáculos ou mostras, público atingido, cidades abrangidas, etc.

Como fazer: Volte ao item “objetivos” e tente traduzi-lo em resultados práticos ou produtos, que possam ser vistos ou experimentados. Busque resultados para cada objetivo específico, analisando os que, de fato, são viáveis de se concretizarem.


VIII. Estratégias de Ação (Memorial Descritivo)
Refere-se ao detalhamento das etapas de trabalho. Enumerar e descrever as atividades necessárias para atingir o(s) objetivo(s) desejado(s) e explicar como se pretende desenvolvê-las.

• Qual a programação do projeto?
• Como ele será realizado? Existem etapas distintas? Quais?
• Quem são os responsáveis por cada etapa? Que atividades desenvolverão?

Como fazer: Para elaborar a estratégia de ação volte aos itens “objetivos” e “resultados previstos” e liste todas as atividades que serão necessárias para atingi-los. Ordene as ações por etapas de realização e preveja o tempo de duração de cada uma. Liste também os serviços a serem desenvolvidos em cada etapa.

Muita atenção: A estratégia de ação do projeto deve ser coerente com os itens “orçamento” e “cronograma”. Ela demonstra a capacidade de administração do proponente, bem como a proximidade que o proponente possui com a linguagem do projeto e a produção cultural.

• Demonstrar a capacidade do proponente em viabilizar o projeto;
• Incluir relação de livros publicados e propostas culturais desenvolvidas pelo proponente;
• Detalhar os objetivos e mostrar claramente as etapas da realização;
• Prever o tempo de duração de cada etapa;
• Relacionar e descrever as parcerias (institucionais: órgãos públicos, fundações e instituições; promocionais: veículos de comunicação associados; e empresariais: apoio e colaboração em recursos humanos, materiais ou financeiros);
• Demonstrar coerência com o orçamento; e
• Destacar as ações que não serão subsidiadas pelo edital, mas que são importantes na compreensão geral do projeto. Neste caso é necessário indicar como essas ações serão custeadas, em coluna específica do orçamento físico-financeiro.


IX. Plano de Distribuição dos Produtos Culturais

• Indicar tiragem, número de ingressos e/ou o público estimado.
• Informar se os produtos serão comercializados e/ou se haverá distribuição gratuita.

Em caso de distribuição gratuita informar os beneficiados, indicar o percentual de distribuição comercial (discriminar a quantidade e o valor pretendido), o percentual de distribuição gratuita (discriminar a quantidade e a destinação), o percentual para o patrocinador (até 10%) e editora (no caso de publicação), etc.

Em alguns editais e leis de incentivo, a instância financiadora solicita que 20% do produto seja distribuído de maneira gratuita, neste caso o proponente também deve listar quais entidades são beneficiadas, como bibliotecas, escolas públicas, videotecas, etc.


X. Planos de Acesso, Divulgação e Comunicação
Especificar a forma de divulgação do projeto e seu plano de mídia.

• De que forma será divulgado ou desenvolvido o trabalho de assessoria de imprensa?
• Quantos cartazes, folders, outdoors e outros instrumentos de comunicação serão utilizados?
• Quais produtos poderão ser disponibilizados ao final do projeto: livros, fotos, gravações, textos, etc.

*Indicar as ações e os materiais de divulgação do projeto, com suas respectivas especificações e quantidades.

* Material Gráfico (cartazes, convites, programas, filipetas, faixas, banners)
* Ações promocionais
* Release (dados informativos sobre o evento, local, dia, horário, contatos)
* Arte final para material gráfico


• Indicar em quais veículos de comunicação o projeto será divulgado.

* Mídia Impressa (jornais, revistas, boletins)
* Mídia Digital (sites, blogs, podcasts, etc)
* Mídia Radiofônica (quais rádios)
* Mídia Televisiva


Em outras palavras, o plano irá apresentar a publicidade, marketing e assessoria de imprensa do projeto. É possível formular um plano de comunicação alternativo, mais barato e eficiente se o proponente conhecer o seu público.


XI - Contrapartidas / Retornos para o patrocinador
Indicação de atividades culturais a serem realizadas como contrapartida ou do impacto social do projeto.

• Quais são as atividades de contrapartida?
• Como serão realizadas?
• Quando e onde?

As contrapartidas podem ser:

Institucionais: formas de aplicação das logomarcas dos parceiros nos materiais de divulgação, compromisso de mencionar as parcerias nos materiais de divulgação para imprensa e entrevistas concedidas.

Estruturais: iniciativas de impacto social, de formação de público e reflexão. Exemplo: capacitação de jovens para a produção cultural, geração de oportunidade de trabalho para comunidades de baixa renda, etc.

Compensatórias: iniciativas que promovam a democratização do acesso aos bens culturais resultantes do projeto. Exemplo: permitir acesso gratuito ou a preços populares para o público, portadores de necessidades especiais, portadores de doenças crônicas graves, idosos, estudantes de escolas públicas.

• Proponha ações ou atividades que estimulem a participação do público no projeto, seja de formação ou de intercâmbio, e que tenham resultados mensuráveis.

• Indique de maneira clara quais os benefícios que receberão os patrocinadores e apoiadores.
(Às vezes a publicidade, a divulgação e a associação da marca do patrocinador não são os únicos benefícios, poderá oferecer como contrapartida parte do produto cultural, no caso de livros, CDs, ingressos etc. outro beneficio pode ser a integração de clientes do patrocinador ao projeto cultural, através da realização de cursos, palestras, oficinas ou a cessão de vagas para a realização destas atividades dentro do projeto.)

Muita atenção: Toda ação ou atividade cultural se insere em um contexto econômico, social e político. Por esta razão, o proponente deverá pensar em como atuar neste contexto, tendo como princípio o compromisso cidadão. As atividades culturais indicadas devem estar articuladas com as diretrizes da política cultural da instituição em que o projeto será inscrito.


XII – Patrocínio ou Apoio cultural / Cotas / Permuta
Discutir a inserção do logo do patrocinador, não esquecendo que cabe ao patrocinador lugar de destaque em qualquer que seja a peça produzida.

Plano de Cotas: quando o proponente estiver adaptando o seu projeto para a captação de recursos, deverá indicar cotas de patrocínio para que a empresa possa escolher. As cotas são níveis hierárquicos de parcerias: patrocínio, co-patrocínio, apoio, promoção, colaboração, etc. Para cada cota determine um custo e uma divulgação da marca diferenciados.


XIII. Material Utilizado / Previsto
Especificação de toda a estrutura material necessária, relacionando os equipamentos indispensáveis para a execução do projeto.

• Utilize valores e orçamento razoáveis e dentro da realidade.
• Não supre-valorize seu projeto, isto pode tirar a credibilidade de sua proposta.

Aqui também pode haver uma fusão com o quesito custos, ou não, dependendo da intenção. É importante distinguir o material de consumo (que é usado sem volta durante o projeto – exemplo energia elétrica, papel, etc) do material permanente (de uso continuado após o final do projeto – ex: instrumentos musicais), a forma de obtenção de cada material e destinação após o final do projeto.

Também o cálculo do trabalho dos assim chamados recursos humanos: artistas, colaboradores, pessoal técnico, pessoal administrativo etc. calcular o tempo de contrato e a quantia a ser recebida – salário, complementação salarial, etc.


XIV. Organização / Ficha Técnica
Número de profissionais envolvidos e respectivas funções.

Nomes dos responsáveis por cada fase/etapa do projeto, implementação das diretrizes estruturais, divulgação, coordenação e documentação necessária.


XV. Dados sobre o(s) Proponente(s)
É muito importante encontrar no próprio texto do projeto os dados de identificação de seu autor. Além de servir para facilitar a identificação do próprio projeto, o simples fato de se poder achar um nome de referencia facilitará também o contato daqueles que, ao manusearem o projeto, tiverem interesse em aproveitá-lo, discuti-lo ou mesmo levá-lo adiante.

Currículo: resumido do proponente e dos principais envolvidos no projeto, com ênfase na área cultural. É interessante ressaltar a experiência do proponente em temas relacionados aos editais, quando for o caso.


XVI. Cronograma / Etapas
O cronograma situa no tempo as ações ou procedimentos necessários para a realização do projeto. Deve ser apresentado em forma de tabela, por itens e não em texto.

• Em que período as ações/etapas do projeto serão realizadas?
• Quanto tempo durará cada etapa?

Como fazer: O cronograma é conseqüência da “estratégia de ação”. Desenhe uma tabela contendo as etapas do projeto e seu período de execução (semana, quinzena ou mês). O cronograma geralmente é dividido em pré-produção (ou preparação), produção e pós-produção, que significam, respectivamente, o momento prévio da execução do projeto, a sua execução de fato e o momento posterior.

Enumeração e detalhamento das etapas previstas para a execução da obra, como, por exemplo, pesquisas históricas, levantamentos bibliográficos, elaboração de capítulos, revisão de texto entre outras etapas que o candidato julgar necessárias.

Muita atenção: Algumas ações são comuns a vários projetos, como: reserva do local de realização do projeto, impressão das peças gráficas, divulgação, inscrições, ensaios, montagem, estréia, pagamento de serviços e profissionais, prestação de contas, entre outros. Em algumas ocasiões os editais e mecanismos de financiamento indicam um período de execução, o que significa que não se pode propor um cronograma que o extrapole.

Previsão de duração do projeto: Informar a data prevista para início e término do projeto, considerando todas as suas etapas.

* Procure detalhar as formas de desenvolvimento no transcorrer do projeto, metodologia utilizada e prazos necessários para sua realização. Quando será realizada cada uma das atividades pretendidas. Deve-se calcular o tempo que vai ser gasto em cada etapa do projeto, incluindo-se o tempo gasto na aquisição material necessário ao desenvolvimento do projeto.

* Seja realista ao estabelecer prazos e ao definir seu cronograma de trabalho. Os projetos culturais costumam ser elaborados e apresentados com muita antecedência. O prazo ideal para realização de um projeto é de seis meses, dependendo de sua amplitude. Projetos de pequeno porte também precisam de no mínimo três meses de antecedência para sua captação de recursos e execução.


XVII. Orçamento Físico-Financeiro
Indicação dos recursos financeiros necessários para execução do projeto, com valores unitários e totais.

• Qual o custo de cada etapa do cronograma?
• Quais valores unitários e totais?
• Quais são as fontes previstas?
• Quanto será solicitado a cada fonte?
• Qual o valor total do projeto?

Como fazer: O orçamento também deve ser apresentado em forma de tabela, por itens e não em texto. Sugere-se que o orçamento pelo menos indique: item, valor unitário, quantidade e valor total. O valor total do projeto é a multiplicação de todos os itens anteriores. Remeta-se às ações indicadas no cronograma e veja quais gastos estão implícitos em cada uma delas. Geralmente os projetos prevêem recursos para: pessoal e serviços; infra-estrutura e montagem; material de consumo; material gráfico; custos administrativos; comunicação e divulgação; impostos e taxas.

Muita atenção: A maioria dos editais possui uma cota limite de financiamento. Caso o projeto extrapole o valor determinado, deverá comprovar a existência de outras fontes de financiamento. Neste caso, divida os totais em valor solicitado ao edital e valor total do projeto.

• Listar todos os itens;
• Dependendo do tipo de projeto serão necessários três orçamentos.
• Incluir um cabeçalho com o Título do projeto e outros dados relevantes (nome do proponente) na parte superior da planilha do orçamento físico-financeiro.
• Procurar ter rigor nas cotações, fornecendo sempre custos coerentes aos do mercado.
• Refletir e detalhar o valor solicitado, considerando as etapas de trabalho descritas na estratégia de ação, assim como indicar os recursos provenientes de outras entidades (se houver), considerando a incidência de todas as tributações previstas em lei, inclusive as trabalhistas e de direitos autorais.

Observações gerais:

• Os custos de divulgação/comercialização do projeto não poderão ultrapassar 20% do valor total do projeto.
• Os custos administrativos do projeto não poderão ultrapassar 15% do valor total do projeto, independente do fato de uma parte ou todos os serviços serem terceirizados.
• Os impostos incidentes sobre pagamento de serviços, mediante recibo, somente deverão constar do orçamento, quando os mesmos forem recolhidos pelo proponente. Neste caso, os valores dos recolhimentos deverão ser especificados nos campos próprios da planilha.


XVIII. Avaliação dos resultados
Apresentação de indicadores para avaliação do projeto.

• O que precisa ser avaliado?
• Como pode ser avaliado?
• Como será apresentada esta avaliação? E para quem?

Como fazer: Volte ao item “resultados previstos” e tente identificar que ações auxiliam para checar os resultados. Pode ser através de questionários de pesquisa de público, de clipagens de materiais de imprensa, de entrevistas, da quantidade de ingressos ou produtos vendidos, etc.

Muita atenção: Os indicadores servem para comparar os “resultados previstos” com os resultados reais do projeto e permitem avaliar se o projeto foi bem sucedido. Eles podem ser quantitativos: número de participantes, espetáculos, beneficiados, etc; ou qualitativos: análise da divulgação, da satisfação do público e da verba total do projeto.


XIX. Estimativa de arrecadação
Multiplique o valor unitário do ingresso ou produto cultural pela quantidade pessoas poderão adquiri-lo – esta estimativa pode ser feita, por exemplo, a partir do número de lugares do local onde será realizado o projeto.


XX. Ficha técnica ou créditos
Direção, Produção, Realização, Coordenação, etc.


XXI. Carta(s) de anuência
Comprova a participação dos profissionais envolvidos indicados na ficha técnica.


XXII. Material gráfico
Folders, matérias de jornal, dvd’s, entre outros materiais que indiquem outros projetos do proponente.


XXI. Contatos
Nome dos responsáveis, telefones, e-mails, etc.


[Observação Final: Geralmente é de bom tom, em um projeto de literatura, colocar em anexo textos de própria autoria, a menos que o edital declare sua posição contrária. Também é importante observar o limite de páginas para esse fim. Nossa sugestão fica entre 5 a 10 laudas, dependendo do projeto, do edital e coisa e tal.]
Guias para a Elaboração de Projetos Culturais


* Para elaboração desse documento foram consultados os seguintes sites:
- Funarte (Fundação Nacional de Artes)
- Proac (Programa de Ação Cultural)
- Fundação Cultural do Estado da Bahia (Orientações para elaboração de projetos culturais)
- Prefeitura de Santo André (Elaboração de projetos culturais)
- Blog Elaborar Projeto Cultural (http://elaborarprojetocultural.blogspot.com/)
- Associação Brasileira de Captadores de Recursos (Guias auxiliam em elaboração de projetos)


2 comentários:

Fernanda Munhão disse...

Parabéns pela explanação do projeto, é bem objetivo e útil, poucos conseguem desenvolver trabalhos assim.

Fernanda de Aragão disse...

Obrigada, Fernada, seja bem vinda ao espaço. Abraços!

Blog Widget by LinkWithin

Leia Também

2leep.com